Húngaro mata esposa após descobrir suposta traição por WhatsApp, no AM

Foto: Crime ocorreu na casa onde casal residia em Manaus (Foto: Adneison Severiano/G1 AM)
Brasileira foi assassinada com dois tiros na cabeça enquanto dormia.
Homem alega ter ficado revoltado com suposta traição, diz defesa.
Adneison Severiano
Do G1 AM
Um funcionário público aposentado de 62 anos foi preso em Manaus por suspeitas de ter assassinado a própria esposa em Manaus. O húngaro Elek Bkiss, de 62 anos, teria cometido o crime após receber uma mensagem de WhatsApp sobre uma suposta traição da mulher. Maria Edineuma Bernardo Lopes, 38 anos, que é brasileira, foi atingida com dois tiros na cabeça enquanto dormia, na madrugada deste domingo (27). A polícia diz que o estrangeiro confessou o crime.
O caso ocorreu pouco depois da meia-noite, na residência do casal, situada na Rua 214, Conjunto Cidadão V, bairro Nova Cidade, Zona Norte. Elek contou à Polícia Civil que estava em casa quando recebeu uma mensagem de texto e uma foto relatando que ele estava sendo traído.
"A relação do casal ficou conturbada depois da mensagem recebida há um mês. Ele disse que ontem [sábado, 26], a esposa não queria dormir com ele. Os dois brigaram e ele resolver assassiná-la. O aposentado disse que aguardou a mulher dormir e pegou um revólver calibre 38. Elek relatou que foi ao quarto e atirou duas vezes na cabeça da esposa", informou o delegado plantonista do 15º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Guilherme Antoniazzi.
A auxiliar de serviços gerais Maria Lopes morreu no local. Elek Bkiss foi preso pela PM logo em seguida. Após ser detido, o aposentado relatou à polícia que pretendia cometer suicídio, mas foi impedido pelos familiares da vítima.
No momento do crime, seis pessoas estavam na casa. O filho do casal, de 11 anos, estaria dormindo ao lado da mãe quando ela foi assassinada. Outros filhos de Maria também estavam na residência. "Ela estava dormindo com o filho de 11 anos abraçado na cama quando ele atirou nela", relatou uma vizinha, que prefere não ser identificada.

Os familiares da vítima não quiseram falar sobre o caso. O casal estava junto há 12 anos. Elek Bkiss é natural de Budapeste, capital da Hungria.
O advogado Michael Harraquiam, que representa o húngaro, alegou que o suspeito faz uso de medicamentos controlados para tratamento de problemas psíquicos e que ele ficou descontrolado ao descobrir a suposta traição.
"Ele atirou na esposa. Infelizmente, ele toma remédios controlados há muito tempo para problemas psíquicos. Ele recebeu um comunicado e foto via WhatsApp da mulher traindo ele. Ele relata que, na imagem, aparecia a esposa e o suposto amante. Com a foto, ele se revoltou e cometeu o crime", comentou a defesa.
A arma utilizada no assassinato não foi encontrada pela polícia no local do crime. A previsão da Polícia Civil é que o húngaro seja encaminhado, ainda neste domingo, à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro da capital.
Fonte: G1

Comentários